"Firme, forte, bem enraizada, a última azinheira e a sua dríade ou Espírito da Natureza, qual Deusa Mãe Terra, saúda-nos e pede-nos para defendermos mais as árvores, em especial as mais velhas, raras e sagradas..." (Pedro Teixeira da Mota)



segunda-feira, 29 de agosto de 2016

REAL... IRREAL... SURREAL... (218)

Convento da Arrábida - Foto de Fernanda Gil

O OUTONO É TRISTE

Aonde estou não há outono. O Outono é triste…
Aqui não deixam nunca as folhas de ser verdes
E há arelva e os rebentos e a alegria dos pássaros…
E os sítios em que amámos?... Vou contigo, Mulher,
Vamos de braço dado aos sítios de outro tempo…
Ah! Que não vemos musgo, muros velhos, mofo…
Saudades?... Nem ao menos saudades… Somos os dois tão jovens!...
Lá vai uma flor nova romper. Detemo-nos, deixamos
De respirar – e eis o botão rasgado e a flor aberta.

Sebastião da Gama
(Arrábida, 15/Nov/1951)

Selecção de António Tapadinhas

3 comentários:

MJC disse...

Magnífico conjunto.
Abraço.

MJC

A.Tapadinhas disse...

MJC Méritos do Sebastião e da Fernanda.
Obrigado.

Abraço.

António Tapadinhas

Gil disse...

Obrigada pela valorização da minha foto (o convento envolto em nevoeiro, não é em qualquer dia..)com tão belo poema.
O dia a que se refere esta foto também foi especial :)
Abraço