“ Que imenso descanso, não dar nome às coisas! Que infinito espanto, olhar para um mundo sem nome

Paulo Borges


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Versículos


(Natureza)
O instinto e o raciocínio juntos,
a poesia e a ciência,
que maravilha.

 Luís Santos
(Aprendizagem)
Os livros e o conhecimento,
O saber dos analfabetos
Tudo bom,
Que boa é a emoção da Vida.

Como definir a ignorância?



Sem comentários: