"A única revolução definitiva é a de despojar-se cada um das propriedades que o limitam e acabarão por o destruir, propriedade de coisas, propriedade de gente, propriedade de si próprio."
(Agostinho da Silva)

terça-feira, 1 de agosto de 2017

O DIÁRIO DA MATILDE - O MEU PRIMEIRO ANO DE ESCOLA

Hoje as miúdas passaram o dia nos escuteiros de Alhos Vedros. 
A amiga Beatriz fez a promessa e a Amélia convidou-as para ali almoçarem com elas. Depois passaram a tarde em brincadeiras alusivas ao dia de festa. 

Os pais aproveitaram para ir ao cinema. 
Vimos o último filme de Woody Allen que é simplesmente uma delícia. 

É ou não verdade que apesar de tudo podemos sempre recomeçar, ainda que seja do zero? 
Mesmo num mundo pós-moderno é possível viver com base em certos valores mínimos de decência e dignidade e de respeito pelo próximo. 
Não faz qualquer sentido resignarmo-nos ao desespero. 
E Manhattan lá está, mais uma vez, agora sob a luz da Primavera. 
Numa escala de zero a vinte, dezoito. 



E no Iraque lá houve mais um atentado sobre uma esquadra da polícia. 
Por enquanto, os inimigos de um Iraque livre ainda conseguem ter esta voz. 


E o pai da bomba atómica paquistanesa denunciou que o Irão, a Líbia e a Coreia do Norte receberam tecnologia nuclear a partir do seu país. 

Será que Kadhafi está a fazer o maior bluff da sua carreira para conseguir esconder um programa de construção de armas nucleares? 
Não me parece que fosse capaz de chegar a tanto. 

Já o Irão fica assim exposto no que respeita às intenções do seu programa nuclear, alegadamente, apenas destinado a fins pacíficos. 


O mundo está cada vez mais perigoso. 
Enquanto existirem este género de tiranias estaremos sempre sob a ameaça de guerras em que as armas atómicas façam valer as suas potencialidades de morte e destruição. 



Amanhã, a Margarida fará dez anos de idade. 


 Alhos Vedros 
  01/02/2004

Sem comentários: