"Não haviamos marcado a hora, não haviamos marcado o lugar. E na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos, os nossos tempos e os nossos lugares coincidiram. E deu-se o encontro."

(Rubem Alves)


terça-feira, 26 de dezembro de 2017

O DIÁRIO DA MATILDE - O MEU PRIMEIRO ANO DE ESCOLA

Abriu o período de instrução do chamado processo Casa Pia que assim deixou de estar em segredo de justiça. 
Ele há limitações, pois não são autorizadas, por exemplo, divulgações de peças processuais, como não podem ser divulgadas as identidades das testemunhas, mas é de esperar o maior vendaval mediático jamais visto em torno deste caso. 
É claro que todos os direitos das vítimas e das testemunhas vão ser espezinhados nas tentativas de obstrução à justiça e na procura do desiderato que, se não conseguir o arquivamento dos autos, pelo menos, deixe as provas factuais e testemunhais muito abaladas. Para isto assistiremos ao vale tudo e veremos como todos os esconsos poderes e aqueles que directa ou indirectamente deles beneficiam confluirão para que, no fim de tudo, seja o próprio estado de direito que saia completamente estilhaçado desta situação. 

Aqui se decidirá o futuro da democracia em Portugal para as próximas gerações. 
E o que eu mais receio é que sejam os democratas quem venha a perder. 

Portugal será pioneiro nos despotismos com que o crime organizado afrontará a civilização democrática? 
E aqueles terão a forma do pluralismo parlamentar e falarão muito em liberdades e direitos. 



“-Hoje fizemos palavras cruzadas.” –Disse a Matilde cheia de entusiasmo. 
Foi esse um dos exercícios com que os alunos treinaram a escrita e a leitura. 
E, segundo ela, a Professora fez uma coisa muito engraçada. 
“-Dividiu ao meio uma folha do caderno e de um lado escreveu palavras e frases e do outro nós copiámos.” 



Ui, como são estranhos e burocráticos os tramites de uma conta poupança habitação. 



A Primavera em passos largos 
as tardes caindo com céus rosados sob assobios de andorinhas 

só as noites permanecem no silêncio que o frio traz consigo. 


 Alhos Vedros 
  03/03/2004

Sem comentários: