"Não haviamos marcado a hora, não haviamos marcado o lugar. E na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos, os nossos tempos e os nossos lugares coincidiram. E deu-se o encontro."

(Rubem Alves)


sábado, 20 de janeiro de 2018

Editorial


"NEM EU..."

Luís Santos

Fazemos por aqui um pasquim de seu nome Estudo Geral, como se vê, que faz a terna idade de 8 anos, no dia vinte e três de Janeiro, uma aventura literária, artística, multimédia. Quanto ao oito, o melhor é deitá-lo para lhe dar a sua fiel expressão matemática de infinito. Sobre o pasquim não tem mais vontade de se afirmar como revista, embora não o descuremos em meios mais formais que ainda precisam desse tipo de títulos.

Este Estudo Geral mantém-se, assim, como uma espécie de ancoradouro espiritual, digital, lugar de (re)encontros, de forma a que ninguém se disperse muito, ou se esqueça de vez que existe uma ponte, um espírito santo, que nos ajudará a passar para a outra margem da vida, onde o triunfo do cântico dos cânticos nos assista.

Acordámos hoje de manhã, no meio dos cansaços dos alunos, a pensar se é coisa que valha a pena, o cansaço, com essa clara ideia de que parte de nós já vive nesse reino encantado do Paráclito. Uma luz no meio da escuridão. Assim seja.

Sobre a Ilha dos Amores e do Dinis, e dos nossos sonhos às cores, tudo transformado em imagens e palavras de mil e um autores. Somos gratos.

A Natureza, essa bola colorida, está nas nossas mãos. Dê voz ao silêncio, se faz favor.


Sem comentários: