"Não haviamos marcado a hora, não haviamos marcado o lugar. E na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos, os nossos tempos e os nossos lugares coincidiram. E deu-se o encontro."

(Rubem Alves)


segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

REAL... IRREAL... SURREAL... (290)



Caldeira do Moinho Pequeno, Autor António Tapadinhas
Acrílico sobre tela 80x100cm

Tenho mostrado algumas das muitas telas que pintei em que os Moinhos de Alburrica são a figura central do quadro. Há outros moinhos, os de maré, que funcionavam com os ritmos da subida ou descida das águas.
O esqueleto da casa, que aparece na parte esquerda do quadro, é onde funcionava o moinho de maré. Da língua de terra, em frente, vêem-se as entradas de água que faziam girar o sistema.
Actualmente, nem o esqueleto da casa existe!
Sinais dos tempos!

Selecção de António Tapadinhas

Sem comentários: