"Cheguei finalmente à vila da minha infância (...) Paro diante da paisagem, e o que vejo sou eu."

- Álvaro de Campos


terça-feira, 11 de agosto de 2015

O DIÁRIO DA MATILDE - O MEU PRIMEIRO ANO DE ESCOLA

"-OLHA A PROFESSORA MATILDE!"


O que é isto? 
Um dos helicópteros afectos ao serviço de incêndios terá sido usado para passeios turísticos durante os grandes fogos do passado mês de Agosto? 
Foi o que uma reportagem da SIC procurou denunciar. 
Em acto contínuo, o ministro da tutela demitiu o chefe da protecção civil, em Viseu e o comandante dos bombeiros de Lamego, onde aconteceu o devaneio. 


Mas a sensação que fica é que o país anda submetido a uma campanha que procura enfraquecer os poderes democráticos e mitigar a justiça. 
Ainda anteontem, naquela mesma estação televisiva se deu a ver um episódio entre um Juiz do Supremo e dois repórteres. O desembargador chegou a ter que empurrar a câmara e a exigir que não o filmassem, no que chegou a ser mal educado. 

Sem embargo, ficámos sem conhecer o completo das circunstâncias da ocorrência. Mas ontem, na nossa imprensa – que não tem liberdade, sejamos justos – não faltaram as vozes de serviço para se atirarem ao homem. Curiosamente, em muitos casos, as mesmíssimas penas que tanto têm clamado ao lado da defesa dos arguidos no caso da exploração e abuso sexual de crianças. 


E o bastonário da ordem dos advogados que não se afadiga de pugnar pelos direitos cívicos e as liberdades, heim. 
Bem, mais vale tarde que nunca, lá diz o ditado; ele há muito que poderia ter encetado o combate, desde logo quando chegou ao cargo que agora ocupa. Aconteceu certamente que até aqui as escutas devem ter servido apenas para apanharem drogados e o excesso de prisão preventiva deve ter recaído apenas sobre a marginalidade que obviamente não mais terá que uma importância estatística. 
Mas não deixa de ser bizarro que o ilustre causídico equipare a comissão que propõe para se pronunciar sobre o trabalho dos juízes a uma outra que já existe, com o mesmo fim, é bom de ver, para os serviços de segurança. (1) 
Como é? Estabelecemos uma equivalência entre os juízes e a polícia? 
Mau, não me digam que aqueles devem estar ao serviço destas. 



E este mundo que tem tantas coisas para que nós nos enamoremos. 

Estão a ver, King Crimson, dois mil e três, “The Power To Believe”, é uma delas.



E a Matilde lá está a dormir na cama de campanha. 
Podia dar-lhe para pior. 



Pois querem vocês ver um exemplo da falta de liberdade de expressão e muito menos de investigação no jornalismo que se faz em Portugal? 

Há um jornalista do diário desportivo “O Jogo” que se encontra suspenso das suas funções e remetido para um serviço fora da redacção a alguns quilómetros do local de trabalho que até então fora habitual. 
No “Público” a notícia originou apenas uma pequena nota em que se explica o porquê da situação. 
A SIC que até tem câmaras para filmar helicópteros indevidamente utilizados e que põe os microfones à frente de tudo quanto é gente, não se interessa, não questiona, não investiga. 

É este o nível da liberdade laboral que temos nos nossos meios de comunicação social. 

Não foi o Jorge Coelho que um dia disse que quem se mete com o PS leva? 
Ora avaliando o que aconteceu com Rui Rio – eleito democraticamente o Presidente da Câmara da cidade, deve sublinhar-se – e a Presidente da Associação de Comerciantes da Invicta, será caso para pensar que quem se mete com o Futebol Clube do Porto leva? 


É esta a nossa liberdade de informação. 

Nunca nada que belisque quem tem força para não ser beliscado. 



É este o Portugal 
que nós temos criado 
que toma melhoral 
a pensar no mau olhado. 



Depois de uma semana de trabalho intenso, sabe bem um cálice de moscatel roxo, com vinte anos e a frescura da noite fazendo os músculos regressarem ao estado que ao repouso sucede. 



A aula de hoje teve dois filmes, o capuchinho vermelho e o pirata azul e depois prosseguiu com desenhos e pinturas a respeito dos mesmos. 

“-A Professora pediu para pintarmos coisas dos filmes.” 

Mas também houve exercícios de desenho à vista, sobre objectos devidamente tracejados no livro. 

“-Sabes o que é que Professora pediu para nós desenharmos? Um frasco, um afia e uma bola.” 

Ai como é doce ver o pardalito, despreocupado, brincando com os outros petizes. 



“-Olha, a Professora Matilde!” –Disse ela espontaneamente ao encontrar a docente do apoio no supermercado. E fez o conveniente cumprimento com toda a alegria que lhe cabia no rosto. 

É a índole desta minha querida filha que mostra ser uma pessoa sincera e leal. 

Deus seja louvado! 

Alhos Vedros 
 26/09/2003 


NOTA 

(1) Sob a responsabilidade da redacção, JÚDICE PROPÕE INDEMNIZAÇÃO AUTOMÁTICA PARA PREVENTIVOS QUE SEJAM LIBERTADOS, p. 14 


CITAÇÃO BIBLIOGRÁFICA 

Sob a responsabilidade da redacção, JÚDICE PROPÕE INDEMNIZAÇÃO AUTOMÁTICA PARA PREVENTIVOS QUE SEJAM LIBERTADOS, In “Público”, nº. 4935, de 25/09/2003

Sem comentários: