“ Que imenso descanso, não dar nome às coisas! Que infinito espanto, olhar para um mundo sem nome

Paulo Borges


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

REAL... IRREAL... SURREAL... (243)


A Viagem na Minha Terra I
Guilherme Parente
Dimensões 162 x 200 cm

Viagem

É o vento que me leva. 
O vento lusitano. 
É este sopro humano 
Universal 
Que enfuna a inquietação de Portugal. 
É esta fúria de loucura mansa 
Que tudo alcança 
Sem alcançar. 
Que vai de céu em céu, 
De mar em mar, 
Até nunca chegar. 
E esta tentação de me encontrar 
Mais rico de amargura 
Nas pausas da ventura 
De me procurar...


Miguel Torga


Selecção de António Tapadinhas

Sem comentários: