De que árvore florida chega? Não sei. Mas é seu perfume.

(Matsuo Basho)

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

REAL... IRREAL... SURREAL... (93)

Baía do Seixal, Autor António Tapadinhas, 2009
Óleo sobre Tela, 80x100cm
No Mar, podemos encontrar o invisível, tudo o que a nossa imaginação for capaz de criar. Durante longos anos, passei muitas noites à pesca nas praias, desde o Meco até Sagres, a respirar o ar salsuginoso, revigorando os pulmões e a mente com o sonho de peixes míticos e de sereias verdadeiras.

O invisível acaba, muitas vezes, quando se abrem os olhos...

António Tapadinhas

2 comentários:

MJC disse...

Prospectando o ambiente aquático e observando o universo donde, por vezes, podem chegar visitas ainda mais inesperadas do que sereias verdadeiras. O que é verdade é que o Mundo é muito mais do que nós sabemos mas acerca disso ainda um dia nos hás-de contar, espero. Talvez na continuação do "Sargos para o Jantar" quem sabe?! Até lá, aguardemos.
Não conhecia esta tua tela de que gosto, naturalmente.
O azul é tão refrescante que decerto por lá andarão muitas sereias mesmo que assim de repente não as consigamos ver. Vou tentar fechar os olhos a ver o que acontece.

Abraço.

MJC

A.Tapadinhas disse...

MJC: Tens razão: o mundo é muito mais do que nós julgamos! E, mais uma vez, tens razão: a continuação do "Sargos para o Jantar", vai ter as minhas respostas a uma série de dúvidas.

É essa a atitude: fechar os olhos e ver o que acontece!

Carpe diem!
António