De que árvore florida chega? Não sei. Mas é seu perfume.

(Matsuo Basho)

domingo, 6 de dezembro de 2015

Diagnóstico - "Natureza"


Polifonia cromática pela aurora que rompe o mundo.
Os sons e as cores uniram-se para os homens se beijem uns aos outros.
Céus osculados e ternos da vida, no brilho do olhar humano
Avançam com a aurora cintilante no rasto rameloso que cresce no despertar 
De quem irrompeu de um sonho.

( quanto maior for o brilho no olhar de um homem durante o dia, maior é o rasto deixado por ele no outro dia quando acorda. As ramelas nunca enganaram ninguém, nunca corromperam a sua fiel humanidade.) 

É a busca fraterna e em paz universal que faz os homens beijarem-se.
O humano é um sítio coberto de todas as caligrafias possíveis
E as cores e sons universais uniram-se para que os homens se beijem.
E beijem, nesta eterna aurora cíclica de nove meses rompendo a terra.

O coração de todos os relógios do mundo batem a uma só voz.
Ósculos na madrugada que avança subtil pela saliva do homens que se amam.
Despertadores de cabeceira engenham mecânicos um novo dia (mecânico?)
E ei-lo 
Aí está 
Já está
Criou-se tudo...


Diogo Correia

Sem comentários: