"Não defendo este partido, nem o outro; se ambos diferem à superfície e podem ararastar opiniões, aprofundemos nós um pouco mais e olhemos o substrato sobre que repousa a variedade; o mundo das formas levanta oposições que se desfazem à luz do entendimento (...)"
Agostinho da Silva, O Terceiro Caminho, Diário de Alcestes (1945), in Textos e Ensaios Filosóficos I, pp. 216-217.

quinta-feira, 9 de março de 2017

As Árvores Morrem de Pé, de Alejandro Casona


«Morta por dentro, mas de pé como as árvores» é a célebre frase declamada, no final da peça de teatro, pela saudosa actriz Palmira Bastos.

Sim, há árvores que morrem de pé


Mas outras morrem deitadas


Em que ficamos?

Com menos sobreiros, essa é a dolorosa realidade ambiental.... com que também nos confrontamos no campus do IPS.

Luís Souta
(um eco-fotógrafo de proximidade)

Sem comentários: