"Não defendo este partido, nem o outro; se ambos diferem à superfície e podem ararastar opiniões, aprofundemos nós um pouco mais e olhemos o substrato sobre que repousa a variedade; o mundo das formas levanta oposições que se desfazem à luz do entendimento (...)"
Agostinho da Silva, O Terceiro Caminho, Diário de Alcestes (1945), in Textos e Ensaios Filosóficos I, pp. 216-217.

terça-feira, 7 de março de 2017

O DIÁRIO DA MATILDE - O MEU PRIMEIRO ANO DE ESCOLA

O DIÁRIO DA MATILDE – O MEU PRIMEIRO ANO DE ESCOLA

2º. VOLUME

O SEGUNDO PERÍODO 


O RECOMEÇO DAS AULAS


Uma chuva de meteoritos caiu ontem sobre o território da Península Ibérica. 
Foram as bolas de fogo que as populações do Minho e um pouco por toda a Espanha avistaram. 



Eu é que tive um começo de semana alucinante. Dispus de meia hora de repouso para almoçar e nada mais. Estou com doze horas de trabalho e o cansaço faz-me desejar o repouso de uma noite de sono. 



A grande e boa novidade é que a “Spirit”, a sonda norte-americana que ontem amarteou numa baixa latitude Sul, já enviou muitas imagens para a Terra e tudo indica que se prepara para começar o trabalho de pesquisa na superfície rochosa do planeta vermelho. 
E finalmente os olhos humanos viram o Sol a partir de Marte, uma moeda luminosa num fundo escuro. 

Brevemente avolumaremos os conhecimentos sobre o vizinho das mil e uma ficções. 



E os meus amorzinhos lá retomaram o ritmo das épocas laborais. 
No fim da tarde, ao dia escolar seguiu-se a aula de ginástica. 

Agora dormem que também para elas a fadiga deve ser grande. 


Na aula de hoje, a Professora teve o cuidado de não forçar os alunos e depois de falarem sobre as férias que passaram, ao jeito de exercícios de recapitulação, tiveram que copiar as palavras dadas; menina, menino, bota, sapato e uva. Pinturas e desenhos completaram o tempo útil da manhã. 

Segundo a Matilde, os miúdos irão usufruir de aulas de patinagem na Moita. 
Confesso que a ideia me parece um tanto estranha. Amanhã, a Luísa informar-se-á junto da Professora. 



Agora fico por aqui. 
A noite está fria e luada. 


Alhos Vedros 
  05/01/2004

Sem comentários: