De que árvore florida chega? Não sei. Mas é seu perfume.

(Matsuo Basho)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

D'ARTE - CONVERSAS NA GALERIA (2ª. SÉRIE)


ANTA NUM PRADO ROSA



LUÍS DELGADO

Óleo sobre tela 81X67


"(...) Ressumava daquele imenso espaço verde uma paz sem mácula que o silêncio - ali pontilhado de mil cintilações - exaltava. As poucas árvores que o salpicavam em nada quebravam a sensação de preguiça que a Terra transmitia. (...) "

Manuel João Croca

2 comentários:

Unknown disse...

... de como poucas palavras, de certas, nos podem dizer tanto...
Teresa

MJC disse...

Cara Teresa, bom dia.

Obrigado pelas suas simpáticas palavras.
Creio que brota do quadro, para além da sua beleza plástica, um grande silêncio que nos inunda de paz.
Silêncio e paz, que debalde todas as lutas que cada um deverá e terá de travar, todo o mundo persegue, toda a gente procura.
Quando os encontramos neste nosso peregrinar, sentimos um misto de alegria mansa e gratidão e é claro que gostamos de partilhar esses sentimentos porque o homem cria e se multiplica.

Permita-me que lhe deixe um abraço.