De que árvore florida chega? Não sei. Mas é seu perfume.

(Matsuo Basho)

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

REAL... IRREAL... SURREAL... (2)


Maternidade (1935) Almada Negreiros

Óleo sobre Tela 100x100cm

ABRAÇO

Gostava de ter alguma coisa muito especial para dizer… não tenho.
Mas não há-de ser por isso que me vou calar.
Hoje existi!
E aconteceram-me coisas. Podem não ter sido nada de especial.
Mas foram as minhas coisas.
Os meus bocadinhos de vida do meu dia de hoje.
As coisas de hoje para me acontecerem. E as que não eram de hoje, mas que eu quis.
Hoje vi um menino que me deu um abraço!
Foi só um abraço de um menino.
Mas foi o abraço que o menino tinha para me dar no meu dia de hoje e no dia de hoje dele.
Não foi nada de especial. Foram os bocadinhos de vida do dia de hoje do menino.
As coisas de hoje para lhe acontecerem.
As coisas de hoje para me acontecerem.
Ou então não eram de hoje, mas eu e o menino demos um abraço. Não foi nada de especial.
Mas também não há-de ser por isso que eu me vou calar.
E o menino também não.

Teresa Bondoso
4 de Setembro de 2012

7 comentários:

Anónimo disse...

Começo a aguardar estes pequenos momentos de leitura com bastante entusiasmo. Gosto muito da simplicidade com que escreve e da aparente simplicidade do que escreve. E da excelente escolha das imagens com que acompanha a sua tão poética prosa! Obrigada por ter trazido à minha manhã este momento tão especial! Envio-lhe, de volta, um abraço - nada de especial, apenas um abraço!

luis santos disse...

O comentário está tão ao nível da pintura e do texto que vou simplesmente subscrever para não estragar: nada de especial, Muito Bom.

A.Tapadinhas disse...

A César o que é de César: a escolha das imagens é de António Tapadinhas...

Os textos são de Teresa Bondoso que tive a honra de conhecer e de ouvir dizer um dos seus singulares poemas, numa tertúlia poética. Fiquei fascinado com o seu surrealismo, tão irreal como convém ao que é real...

Agradeço em meu nome e de Teresa Bondoso.

Abraços,
António Tapadinhas

Unknown disse...

Eu, que só agora percebi que responder a um comentário não era mais do que comentar, quero agradecer aos que me lêem e quero também agradecer os comentários. Mas, perdoem-me os outros, quero expressar aqui que me sinto muito honrada pela forma como o António tem tratado os meus textos, o cuidado que coloca na escolha das imagens, o título geral das minhas publicações e também as escolhas dos textos. É para mim um prazer e uma honra colaborar com este "Estudo geral". Muito, muito obrigada.
Teresa Bondoso

MJC disse...

Acho uma história deliciosa, contada de uma forma deliciosa, sobre o que é maravilhoso.
Confesso que também estou a ficar fã desta recente colaboradora do "Estudo Geral" ao ponto de me atrever a deixar-lhe um abraço.

Manuel João

MJC disse...

Acho uma história deliciosa, contada de uma forma deliciosa, sobre o que é maravilhoso.
Confesso que também estou a ficar fã desta recente colaboradora do "Estudo Geral" ao ponto de me atrever a deixar-lhe um abraço.

Manuel João

Unknown disse...

Muito obrigada pelo comentário. E, já agora, também eu me atrevo: "Um abraço!"
Teresa